Logo da USF - Universidade São Francisco

botão de atalho p/ o Vestibular da USF
botão de atalho p/ o Vestibular da USF
logo usf
logo usf
botão de atalho p/ o Vestibular da USF botão de atalho p/ o Vestibular EAD da USF
Pesquisa

Projetos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa

Avaliação Psicológica em Contextos da Saúde Mental

ADAPTAÇÃO DO TESTE DE ZULLIGER PARA O SISTEMA COMPREENSIVO DE EXNER

O Teste de Zulliger para avaliação da personalidade foi desenvolvido a partir dos estudos que o autor realizou com o método de Rorschach. A semelhança com esse é bastante grande tanto no que diz respeito às características do estímulo quanto no que se relaciona ao procedimento de classificação das respostas e análise dos dados. Assim como o método de Rorschach, o Zulliger sofreu alterações em relação a sua forma primeira, tendo contudo mantido suas características mais originais. No entanto, poucos são os estudos dedicados a esse método na linha dos desenvolvimentos mais recentes que o Rorschach recebeu a partir da criação do Sistema Compreensivo por John Exner nos EUA, o qual tem se mostrado útil e vem sendo adotado pelos especialistas dos mais diversos continentes. Uma linguagem comum permite não apenas maior facilidade de comunicação como também maior fidedignidade na comparação dos resultados de pesquisas. Os objetivos desse estudo são adaptar o Teste de Zulliger conforme os critérios de classificação de respostas e análise dos resultados do Sistema Compreensivo do Rorschach e realizar um estudo de validade, quando avaliado pelo Sistema Compreensivo. No estudo inicial serão formados grupos de pacientes psicopatológicos e de não-pacientes para a construçao de um banco de dados. Todas as respostas dos protocolos serão classificadas conforme os critérios do Sistema Compreensivo. Inicialmente serão efetuadas análises descritivas das variáveis obtidas para identificação dos valores esperados das variáveis e sua dispersão. Em uma segunda etapa criar-se-a uma matriz de correlação que será submetida a uma análise de conglomerados visando a identificação de subgrupos de variáveis associadas. Em uma terceira etapa serão feitos os estudos dos indicadores diagnósticos.

Coordenadora: Anna Elisa de Villemor Amaral
Contato: Anna.Villemor@usf.edu.br
 

AVALIAÇÃO DE SAÚDE MENTAL E GERAL EM CONTEXTOS HOSPITALARES, ACADÊMICOS E ORGANIZACIONAIS

O objetivo deste projeto tem como principal eixo o desenvolvimento e a utilização de instrumentos para a avaliação de saúde mental e geral em diversos contextos de atuação do ser humano, tais como ambientes relacionados à saúde geral (postos de saúde, hospitais, unidades básicas de saúde); saúde mental (hospitais psiquiátricos, ambulatórios específicos que tratam pessoas com transtornos mentais), ambientes acadêmicos (escolas, universidades) e ambientes profissionais (empresas e instituições). As variáveis serão avaliadas por instrumentos que abrangem diversos escopos da saúde mental e geral, tais como os transtornos incluídos nos manuais diagnósticos, avaliações cognitivas (crenças, fenômenos e processos básicos psicológicos), qualidade de vida, estresse, burnout, bem-estar psicológico, suporte social e familiar, dentre outros, a fim de detectar a relação entre variáveis psicológicas e grupos de risco em diversos contextos de atuação, bem como avaliar evidencias de validadee confiabilidade dos instrumentos que focam a saúde mental geral.


Coordenador: Makilim Nunes Baptista
Contato: Makilim.Baptista@usf.edu.br
 

AVALIAÇÃO PSICOTERAPÊUTICA E VALIDADE CONSEQUENCIAL DOS INSTRUMENTOS

As pesquisas com instrumentos de avaliação psicológica, visando investigar suas qualidades psicométricas, apenas se justificam, em última instância, em razão da sua validade conseqüencial, que se refere à contribuição para a prática profissional, acarretando efetivos benefícios sociais. Entretanto, observa-se que se tem investido muito no avanço de instrumentos de avaliação psicológica sob diversas modalidades e estratégias de validação, mas menor ênfase tem sido dada à investigação da validade consequencial. É importante lembrar que as consequências sociais de uma avaliação podem ir além da orientação ou planejamento de intervenções ou tratamentos, uma vez que vários estudiosos têm demonstrado que é possível conceber o processo avaliativo, e mesmo o uso dos instrumentos de avaliação, com finalidades terapêuticas por si mesmo, estas ocorrendo simultaneamente ao uso dos procedimentos investigativos adotados, trazendo um benefício direto e imediato. Esse projeto propõe investigar o processo de avaliação psicológica terapêutica como forma de demonstrar a validade conseqüencial do uso de instrumentos de avaliação. Participarão da pesquisa estudantes universitários que serão atendidos pela pesquisadora na clínica escola da Universidade onde estudam, na modalidade de avaliação psicológica terapêutica, que usa instrumentos de avaliação com finalidades tanto de investigação quanto terapêuticas. Adotar-se-á uma metodologia qualitativa de estudo de casos, associada a uma abordagem quantitativa na análise dos instrumentos empregados.

Coordenadora: Anna Elisa de Villemor Amaral
Contato: Anna.Villemor@usf.edu.br
 


AVALIAÇÃO DE TRAÇOS DE PSICOPATIA NO BRASIL: ADAPTAÇÃO, REFINAMENTO E EVIDÊNCIAS DE VALIDADE DE TRÊS INSTRUMENTOS PSICOMÉTRICOS

A avaliação da personalidade psicopática tem sido aprimorada, nas últimas décadas, com o desenvolvimento de diversas ferramentas psicométricas. Todavia, na pesquisa com a população geral brasileira, ainda há lacunas no que diz respeito à disponibilidade de instrumentos que sejam breves e fáceis de incluir em coletas mais extensas ou que proporcionem uma avaliação compreensiva. O foco do presente projeto de pesquisa é oferecer soluções a esses desafios, ampliando e refinando o instrumental de avaliação da personalidade psicopática no contexto brasileiro. Dividido em dois estudos, o projeto tem por objetivo traduzir e adaptar ao Brasil o Dirty Dozen (DD; Jonason & Webster, 2010) e o Short Dark Triad (SD3; Jones & Paulhus, 2014), além de revisar a escala de Egocentrismo Maquiavélico, Desinibição e Audácia (EMDA; Hauck Filho, Salvador-Silva, & Teixeira, manuscrito submetido). O total de participantes desses dois estudos será de 1300 universitários e outros indivíduos da população geral brasileira. A pesquisa busca oferecer uma contribuição à área da Avaliação Psicológica no Brasil, refinando instrumentos de autorrelato pertinentes a múltiplas situações de uso.


Coordenador: Nelson Hauck Filho
Contato: Nelson.Filho@usf.edu.br
 

DESENVOLVIMENTO DE UM ÍNDICE PARA AVALIAR PSICOPATOLOGIA A PARTIR DE ADJETIVOS MARCADORES DA PERSONALIDADE


O presente projeto de pesquisa tem por objetivo desenvolver um índice para avaliar psicopatia a partir de um instrumento existente, composto por adjetivos marcadores dos Cinco Grandes Fatores da personalidade. Em muitas situações de pesquisa, torna-se um desafio avaliar traços de personalidade socialmente indesejáveis por meio do autorrelato; em outras circunstâncias, quando há o interesse em coletar muitas variáveis, há a necessidade de priorizar o uso de inventários e escalas com um número reduzido de itens. Este trabalho, desenvolvido em dois estudos sequenciais, buscará oferecer uma possível solução a ambos os problemas no contexto da investigação da personalidade psicopática. Propõe-se um método “encoberto” de avaliação da psicopatia, baseado em um número reduzido de indicadores: apenas 25 adjetivos comumente utilizados para descrever aspectos não-patológicos da personalidade. A pesquisa busca oferecer uma contribuição à literatura nacional na área da avaliação da psicopatia e, mais amplamente, da avaliação psicológica.

Coordenador: Nelson Hauck Filho
Contato: Nelson.Filho@usf.edu.br
 

ESTUDO DE INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA EM DIVERSOS CONTEXTOS DA PSICOLOGIA CLÍNICA, POR MEIO DE INVENTÁRIOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Os transtornos mentais e de personalidade, enquanto manifestações de sintomas relacionados às condições psicológicas, orgânicas, hereditárias e sociais, vêm apresentando índices bastante elevados, ocasionando sofrimento que interfere significativamente na vida das pessoas. Atingem crianças, adolescentes, adultos e idosos, rompendo os limites de idade, condição socioeconômica, raça e localização geográfica. As pessoas, de uma forma geral, apresentam flutuações nas respostas aos acontecimentos da vida diária. No entanto, em um número considerável delas, tais respostas assumem uma forma intensa e persistente, podendo caracterizar a ocorrência de um transtorno mental ou da personalidade. A psicologia clínica constitui uma das principais áreas de aplicação da testagem psicológica, além de ser uma das principais áreas de aplicação da psicologia. O estudo de instrumentos de avaliação psicológica com qualidades psicométricas que garantam a confiabilidade dos seus resultados vem se tornando uma das principais preocupações de inúmeros pesquisadores na área de avaliação psicológica no contexto da psicologia clínica, seja em hospitais, consultórios, escolas, entre outros. Assim, justifica-se o objetivo de se desenvolver, estudar e pesquisar evidências de validade para instrumentos de avaliação psicológica que possam auxiliar e suprir necessidades encontradas pelo psicólogo clínico em vários contextos do exercício da sua profissão.

O RORSCHACH E MÉTODOS PROJETIVOS: VALIDAÇÃO, NORMATIZAÇÃO E APLICAÇÃO EM DIVERSOS CONTEXTOS

Na área de avaliação psicológica, as técnicas projetivas ocupam um lugar peculiar em razão do desafio que representam para a validação e normatização. Enquanto métodos de investigação consistem em apresentar para a pessoa a ser avaliada um material pouco estruturado solicitando tarefas de vários tipos, para as quais existe ampla liberdade de resposta, o desempenho de cada um revela aspetos de sua personalidade, de seu funcionamento psicológico e da dinamica de seus afetos. Nesse projeto desenvolvem-se estudos de evidencias de validade de vários instrumentos e diversos contextos, visando contribuir para sua confiabilidade como meio de se entender e pesquisad e vida psíquica.

Coordenadora: Anna Elisa de Villemor Amaral
Contato: Anna.Villemor@usf.edu.br
 

O TESTE DAS PIRÂMIDES COLORIDAS DE PFISTER: VALIDAÇÃO E NORMATIZAÇÃO

Estudo de validação em psicopatologia e na população de não pacientes. Estão sendo feitas aplicações do teste das pirâmides em grupos de pacientes previamente diagnosticados como esquizofrênicos, deprimidos, com transtorno do pânico e transtorno obsessivo compulsivo. Para compor os grupos os pacientes são previamente avaliados pela SCID para confirmação diagnóstica. Os sujeitos não pacientes comporão um segundo grupo a ser investigada na próxima etapa do trabalho.


Coordenadora: Anna Elisa de Villemor Amaral
Contato: Anna.Villemor@usf.edu.br
 



USF - Universidade São Francisco | Todos os direitos reservados.


USF - Universidade São Francisco | Todos os direitos reservados.